A falência do presidencialismo no Brasil foi uma das conclusões apontadas durante o Foro Inteligência na quarta-feira (15).

Identificado como o motor de um estado permanente de crise política, o chamado presidencialismo de coalizão resultou em dois impeachments, comprovando o seu fracasso, segundo o diplomata Jorio Dauster, um dos palestrante do evento.

O recall político, que permite ao eleitor voltar às urnas para responder se um governante deve ou não permanecer no cargo, é visto por ele como a melhor alternativa para corrigir erros eleitorais.

A cientista política Magna Inácio também reconhece as vantagens de um mecanismo como o recall, mas destaca alguns pontos negativos, como os custos dessa consulta
; a instrumentalização da iniciativa, como mecanismo de competição partidária; o risco de polarização política; e perigo de  apresentação reiterada de pedidos de recall.

Para Inácio, existem ajustes mais pontuais que podem ser feitos para contornar os problemas presidenciais do Brasil.

Assista aos melhores momentos do debate aqui: