Pessoíces

Pessoíces

Olímpio Pinheiro, Artista plástico

 

Autopsicologística

O sinistro é um fingidor

Finge tão completamente

Que chega a convencer ter dor

Insight Inteligência - artigos e ensaios fora da curva

Dor que deveras não sente

 

O que fala não se escreve

Conhecimento não tem

Que para as duas não serve

Inútil para os males que vêm

 

Assim na pandemia que roda

Gira a enganar a razão

A logística que não acorda

E que não tem coração.

 

De: Fernando (Pessoa)

Para: Ho Lihn Piuh

 

Bossalnero, o mito anti-herói

O mito é o nada que é tudo

Buraco negro blasfemo

– Mentecapto sobretudo –

O corpo vivo do Demo

Vivo e desnudo.

 

Este, que aqui aportou,

Foi um não ser existindo

Como atroz nos torturou

E por não ser vivo foi vindo

E nos matou.

Assim a lenda se escorre

A entrar na realidade,

E a destruí-la decorre.

Embaixo, a vida, metade

De todos, morre.

 

De: Fernando (Pessoa)

Para: Ho Lihn Piuh

 

O autor é professor efetivo da Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho (UNESP), na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC)

oj.pinheiro@unesp.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *